Ferreira Gullar

Ferreira Gullar

José Ribamar Ferreira, o Ferreira Gullar, nasceu em 1930, em São Luís do Maranhão (MA). Publicou seu primeiro livro de poemas, "Um Pouco Acima do Chão", em 1949.

Em 1951 mudou-se para o Rio de Janeiro, onde colaborou com jornais e revistas como poeta e crítico de arte, além de participar da criação do movimento neoconcreto.

Publicou diversos ensaios sobre arte e cultura, como "Vanguarda e Subdesenvolvimento" (1969) e o polêmico "Argumentação Contra a Morte da Arte" (1993), e também peças de teatro, em parceria com amigos escritores.

Adaptou e escreveu, ainda, textos para a televisão. Entre seus livros de poemas estão: "Dentro da Noite Veloz" (1975), "Poema Sujo" (1976), "Na Vertigem do Dia" (1980), "Muitas Vozes" (1999) e "Rabo de Foguete" (1998).

Foi colunista do jornal Folha de S. Paulo onde publicava aos domingos, desde 2005. Gullar recebeu o prêmio Jabuti 2007 de Melhor Livro de Contos e Crônicas, por "Resmungos" [Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006].

Morreu em 04 de dezembro de 2016, em decorrência de vários problemas respiratórios que culminaram em uma pneumonia.