Paulo Coelho

Paulo Coelho

Paulo Coelho nasceu em 24 de agosto de 1947, no Rio. Em 1987, ele lançou "O Diário de um Mago", sobre sua peregrinação a Santiago de Compostela, popularizando esse roteiro de turismo místico pela cidade espanhola, famosa por ter uma catedral com traços barrocos.

Antes, o escritor carioca era famoso por suas parcerias com o cantor, compositor e maluco beleza Raul Seixas (1945-1989) em discos como "Krig-Ha, Bandolo!" (1973), "Gita" (1974), "Novo Aeon" (1975) e "Há Dez Mil Anos Atrás" (1976"), marcos da contracultura brasileira nos anos 70, tempo de repressão à liberdade pela ditadura militar, em que o clamor por uma sociedade alternativa não se limitava à chamada turma "bicho-grilo". Ele também atuou como jornalista, diretor e autor de teatro.

No começo dos anos 90, Paulo Coelho já despontava como uma fonte de best-sellers após o sucesso com obras como o "O Alquimista" (1988), "Brida" (1990) e "As Valkírias" (1992).

Mas o início não foi fácil. Ele editou por conta própria seu primeiro livro, "Arquivos do Inferno", em 1982. Três anos depois participou do livro "O Manual Prático do Vampirismo", que posteriormente mandou recolher, por considerar "de má qualidade".

Nos anos 90, ele ganhou o mundo com a tradução de seus livros, conquistando fãs do naipe do ex-presidente Bill Clinton, que andava com a cópia de "O Alquimista" em público. Tanta publicidade colocou Paulo Coelho como um dos escritores brasileiros de maior projeção internacional.

O Guinness Book já o reconheceu como o autor que autografou mais traduções de uma obra, em uma única sessão, façanha realizada na Feira de Frankfurt, em outubro de 2003, quando assinou 53 edições de "O Alquimista", cada uma traduzida para uma língua diferente. No dia 25 de julho de 2002, foi eleito para ocupar uma cadeira na Academia Brasileira de Letras (leia íntegra do seu discurso).

No final de 2005, o autor mudou de editora, depois de passar pela Rocco e Objetiva. Em 2008, o jornalista Fernando Morais lançou O Mago, biografia sobre Paulo Coelho, que revelou ter tido três experiências homossexuais em sua vida, além de mostrar uma obsessão pela fama.

Em 2009, o livro "Veronika Decide Morrer" (1998) ganhou uma adaptação cinematográfica de Hollywood protagonizada pela atriz Sarah Michelle Gellar, famosa pelo papel principal na série de TV "Buffy, a caça-vampiros".