Diário da Cadeia (Obra de Ficção)
Adicionar a lista de desejos
Recomendar para um amigo

Diário da Cadeia (Obra de Ficção)

Com Trechos da Obra Inédita Impeachment

Eduardo Cunha (Pseudônimo)

oferta
Saiba mais
De: R$34,90Por: R$25,9025% OFF
4x de R$6,48 sem juros
Cartão de crédito

2x de R$12,95

sem juros

Total: R$ 25,90

3x de R$8,63

sem juros

Total: R$ 25,90

4x de R$6,48

sem juros

Total: R$ 25,90

Produto em estoque, disponível para pronta-entrega

Previsão de entrega e valor do frete

Não sei meu CEP

Previsão de entrega e valor do frete

CEP Entrega em | Frete: R$ Utilizar outro CEP

Avise-me quando chegar

Compre junto

De: R$172,90Por: R$157,80 Você economiza:R$ 15,10

Sinopse

OBRA DE FICÇÃO. Romance que se vale do recurso literário clássico ao pseudônimo, "Diário de cadeia" - obra-prima da metalinguagem - é sátira que explora o universo da política brasileira.

Em outubro de 2016, seis dias após se tornar réu na Operação Lava-Jato, o ex-presidente da Câmara dos deputados, Eduardo Cunha, foi preso em Brasília. Um mês antes, ele já havia tido seu mandato cassado com uma votação esmagadora de 450 a favor, 10 contra e nove abstenções. Antes da cassação, Cunha anunciou que estava escrevendo um livro, no qual contaria os bastidores do processo de impeachment contra Dilma Rousseff. A prisão adiou o projeto do político, que pretendia lançar a obra no fim daquele ano. Seu encarceramento, no entanto, serviu de mote para um autor desconhecido, que resolveu testar os limites da ficção e imaginar os dias do ex-deputado na cadeia. Usando o pseudônimo Eduardo Cunha, o autor de "Diário da cadeia" especula sobre a rotina do ex-deputado desde sua prisão no dia 19 de outubro até a virada do ano para 2017. Brincando com a metalinguagem, o escritor cria o que seriam trechos do livro que Cunha prometeu publicar. A narrativa é intercalada entre o dia a dia do político na cadeia, os trechos da obra "original" de Cunha e suas reações quando descobre que escreveram um livro usando seu nome. Na obra, ele afirma acreditar que é Dilma quem está por trás desta história. No livro "Impeachment" escrito pelo pseudônimo, Eduardo Cunha dedica boa parte da obra ao caso PC Farias, fala ainda de sua passagem pela Telerj, sua relação difícil com as Organizações Globo e o episódio em que impediu a candidatura de Silvio Santos à presidência. No seu dia a dia na cadeia, por sua vez, escreve cartas endereçadas a Kim Kataguiri e a outros amigos do Movimento Brasil Livre e ao juiz Sergio Moro, se envolve em um desentendimento com o jornalista Mario Sergio Conti e faz também uma poesia em homenagem a Michel Temer. Repleto de citações bíblicas, "Diário da cadeia" é uma sátira de uma das figuras mais polêmicas da história recente do país.

Informações Técnicas

Título: Diário da Cadeia (Obra de Ficção)
Subtítulo: Com Trechos da Obra Inédita Impeachment
Autor: Eduardo Cunha (Pseudônimo)
Editora: Record
Edição: 1
Ano: 2017
Especificações: Brochura | 192 páginas
ISBN: 978-85-0111-018-3
Peso: 320g
Dimensões: 230mm x 160mm